Hora certa de trocar o chassis

Retomando nossos artigos com foco técnico, trazemos a vocês esse artigo uma análise sobre o momento certo para trocar o chassis de seu kart.



O TEMPO É RELATIVO

Assim como um carro, a verdadeira "idade" de um chassis depende não só do ano de fabricação, mas também de sua utilização. Um chassis com 2 anos de uso apenas para treinos pode ser melhor do que um chassis com 6 meses de uso, porém usado em treinos e corridas de um campeonato competitivo. O principal motivo para isso acontecer é a fadiga do chassis do kart. Andar em uma pista com zebras altas, motores ou pilotos mais pesados, aceleram o processo de fadiga.

O QUE É FADIGA

Por definição, a fadiga é o processo de ruptura progressiva de materiais sujeitos a ciclos repetidos de tensão.



Resumidamente, um material exposto a esforços repetitivos perde sua resistência conforme é utilizado, até que, ocorre a quebra do mesmo.

O chassis do kart sofre com muita torção, já que o veículo não tem suspensão. Assim, após algum tempo de uso, o kart não terá a mesma rigidez que o kart quando novo. Mas isso não quer dizer que este é o melhor momento para isso.

AS CONSEQUÊNCIAS DA FADIGA

O desgaste do quadro do chassis vai fazer  kart ficar mais "macio", o que representará perda de aderência. Mas, devido a todas as opções de setup, é possível compensar essa perda com mudanças no acerto.



Se você utilizava um acerto do kart que deixava ele mais "solto", pode apertar algumas das barras transversais, para-choques, entre outros, que vão compensar a perda de aderência. Entende-se que o chassis está realmente fadigado quando, mas usando as opções de setup que mais prendem o kart, não conseguimos a aderência desejada.

Ao final, o mais importante é acompanhar os tempos de volta e a telemetria, em cada treino e corrida. Se os tempos de volta não são mais os mesmos, então é hora de pensar no que fazer. O Qstarz de proporciona a mais versátil telemetria do mercado, e você encontra na loja do Papo de Box.

Fontes:
www.forums.kartpulse.com/t/how-long-does-a-chassis-last-and-how-to-know-when-to-replace-it/1224

Campeonato Mundial de Kart 1998

Em 2018 completam 20 anos do último título mundial de kart de um brasileiro. Em setembro de 1998, Ruben Carrapatoso conquistou o incrível resultado na categoria Fórmula A. Hoje vamos contar um pouco de como foi esse evento.



O CAMPEONATO

Em 1998 o Campeonato Mundial de Kart era disputado em 2 categorias principais, a Formula A e a Formula Super A.
Essas categorias utilizavam os motores de 100cc e refrigerados a ar muito semelhantes, mas com algumas diferenças na carburação que tornavam os karts da Formula A cerca de 0,5s mais lento.
Enquanto os Super A podiam utilizar qualquer tipo de carburador com venture de no máximo 32mm, os Fórmulas A eram limitados a carburadores de borboleta com venture de no máximo 24mm de diâmetro.



Outra curiosidade deste campeonato foi a adoção de um Safety Car, que liderava o grupo nas voltas de apresentação. Esse carrinho azul foi uma atração a parte, com pneus que estrapolavam os para-lamas e reforvam o DNA "dicurrida". Infelizmente não temos muitas informações sobre esse carrinho, mas acredito que seja um carro da categoria Legends Racing.

OS CAMPEÕES

Davide Fore (ITA) foi o campeão na categoria Fórmula Super A, para pilotos com mais de 18 anos, Ruben Carrapatoso (BRA) na categoria Formula A, para pilotos entre 15 e 18 anos.
Dentre os 34 finalistas da categoria Formula A, destacam-se dois pilotos que tiveram uma carreira no automobilismo de grande destaque. Fernando Alonso terminou aquele campeonato em 26º, enquanto Ryan Briscoe foi 28º.



Na categoria Formula Super A, alguns futuros pilotos de Fórmula 1 estiveram presentes. Vitantonio Liuzzi foi 7º colocado, Kimi Raikonen (foto acima) foi 24º e Anthony Daividson 34º.

Confira como foi a corrida que deu o título ao brasileiro:



A PISTA

O palco deste grande evento foi o Kartódromo de Ugento, na Itália. Construído em 1986, o projeto deste complexo para o automobilismo teria um autódromo, mas essa parte do projeto nunca saiu do papel.



O traçado desta pista em 1998 (acima) tinha 1120m de extensão e largura entre 8 e 10m, 10 curvas em um traçado que girava no sentido horário. O kartódromo ainda existe, porém passou por algumas extensões que gerou novas opções de traçado e características bem diferentes, como podemos ver na imagem abaixo.



Fontes:
www.kartdrome.com/index.php/racing-and-preparation/formula-a-and-formula-super-a-overview
www.cikfia.com/inside-cikfia/history/our-history/view/article/1998.html
www.kartingmagazine.com/features/historic/karting-in-the-year-1998-a-history/
www.gdecarli.it/php/circuit.php?var1=577&var2=2
www.legendsracingeurope.com/

Conheça o Campeonato Brasileiro de Kart

No final de semana de publicação deste artigo está acontecendo no Kartódromo da Granja Viana a segunda fase do 53º Campeonato Brasileiro de Kart. Então vamos trazer a vocês alguns detalhes desta competição.



O FORMATO DA COMPETIÇÃO

O Campeonato Brasileiro de Kart é uma competição do tipo "open", ou seja, não existem exigências de classificação para inscrição na categoria para a qual você possua a carteira de piloto. Dessa forma, um piloto estreante pode participar, por exemplo, nas categorias F4, novatos ou cadete.



Outra classificação utilizada para definição das categorias é a idade dos pilotos. Assim, por exemplo, na categoria F4 Graduados é permitida a participação de pilotos nascidos até 2004, na categoria F4 Sênior para pilotos nascidos até 1988, F4 Super Sênior para pilotos nascidos até 1974 e F4 Super Sênio Master pilotos nascidos até 1963.

Cada categoria disputa 2 corridas classificatórias, uma pré-final e uma final, sendo que o vencedor da final é declarado o Campeão Brasileiro de Kart. Nas etapas classificatórias, os pilotos recebem ponto de maneira crescente, de acordo com a posição de chegada. Assim, o primeiro colocado "ganha" 0 (zero) pontos, o segundo ganha 2, o terceiro, 3, e assim em diante. Se classificarão para a final os pilotos que tiverem menos pontos, sendo essa também a definição do grid de largada. O grid máximo em cada categoria é de 36 kart.

PREMIAÇÃO

Nos últimos anos a CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) vem oferencendo premiações especiais para as categorias nas quais competem pilotos com idade para seguir uma carreira no automobilismo. Este ano, os pilotos campeões das categorias Graduados e Sênior vão receber como premiação a participação em uma etapa da Sprint Race. Já o campeão e o vice-campeão da categoria Junior vão ganhar um dia de testes com um carro da Fórmula Academy Sudamericana.



Além das premiações especiais, o campeão das categorias Codasur Jr e Internacional OK ganham vaga para o CIK-FIA World Junior Championship (Campeonato Mundial de Kart na categoria Júnior). O campeão da categoria CODASUR terá vaga para o CIK-FIA World Championship (Campeonato Mundial de Kart).

OS MAIORES VITORIÓSOS

Os pilotos com maior quantidade de títulos em Campeonatos Brasileiros continuam na ativa e estarão no KGV neste final de semana. Renato Russo e André Nicastro possuem, cada um, 9 títulos, sendo que Renato pode conseguir seu 10º título.

Siga o Papo de Box no Facebook e acompanhe também a página oficial do Campeonato Brasileiro de Kart.

Fontes
www.faspnet.com.br/brasileiro-de-kart-premios-especiais-para-3-categorias/
www.cba.org.br/_img/dinamics/regulamentos/regulamento-geral-cbk-2018---versao-final-ams-ii---09fev.pdf
www.cba.org.br/_img/dinamics/regulamentos/rnk-2018-arquivo-finalizado-site.pdf
www.facebook.com/brasileirodekart/
www.racingonline.com.br/noticias/granja-viana-sedia-campeonato-brasileiro-de-kart-em-2018/